top of page
  • Foto do escritorDr. Paulo Behar

Malária - relembrando os casos em Porto Alegre

Publicado por PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE EQUIPE DE VIGILÂNCIA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS em 30/11/2018


A Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis (EVDT) alerta que tem ocorrido casos de malária grave em viajantes procedentes de áreas endêmicas, inclusive com óbito de paciente que chegou da Nigéria. Sendo assim, a equipe lembra aos profissionais de saúde que fiquem muito atentos aos pacientes que chegarem das áreas endêmicas com sintomas.

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, com ampla distribuição mundial, causada por protozoários do gênero Plasmodium., transmitidos através da picada da fêmea infectada do mosquito Anopleles. As espécies associadas à malária humana são: Plasmodium falciparum, Plasmodium vivax, Plasmodium malarie (encontradas no Brasil), Plasmodium ovale e Plasmodium knowlese, encontradas no continente africano e sudeste asiático, respectivamente. O período de incubação varia de 7 a 14 dias e os sintomas são febre, calafrios, cefaléia, sudorese, acompanhados por cefaléia, mialgia, náusea e vômitos. O quadro clínico da malária pode ser leve, moderado ou grave, dependendo da espécie do parasita, da quantidade de parasitos circulantes, do tempo de doença e do nível de imunidade do paciente. O diagnóstico precoce e o tratamento específico e oportuno são a única forma de evitar o agravamento do quadro e o óbito por malária.


No Brasil a malária é endêmica nos estados da Amazônia legal, bem como em diversos países do continente africano (Burkina Faso, Angola, Costa do Marfim, Camarões, República do Congo, Ghana, Mali, Moçambique, Níger, Nigéria, Tanzânia e toda a África Setentrional), da Ásia (Índia, Sudeste Asiático), América Central, nas Américas (Colômbia, Peru, Bolívia, Venezuela, Equador, Brasil).


O Rio Grande do Sul não é área de transmissão de malária, mas os serviços de saúde atendem viajantes retornando de áreas endêmicas, onde estiveram trabalhando ou como estudantes, voluntários, missionários e militares, entre outros. Sendo assim:

Suspeitar de malária em todo paciente que seja residente ou tenha se deslocado para a área de transmissão de malária no período de 8 a 30 dias antes do início dos sintomas e que apresente febre, acompanhada ou não de calafrios, cefaléia, mialgia e sudorese.

Frente a um caso suspeito, deve-se notificar IMEDIATAMENTE a EVDT, que orientará a coleta de material para diagnóstico e fornecerá o tratamento.


CGVS – Av. Padre Cacique, 372 - 4o andar – Bairro: Menino Deus Porto Alegre / RS – CEP: 90810-240 Telefone: 3289-2471 / 3289-2472 – FAX: 3235-3315 / 3289-2475

email: epidemio@sms.prefpoa.com.br



 

Dicas do blog

  1. Se tu voltaste recentemente de área de malária e iniciou febre ou qualquer outro sintoma que não saiba qual a causa, consulta logo o teu médico e procura Unidade de Pronto Atendimento mais próxima.

  2. Malária pode ser grave: não subestima essa doença!



3 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comentarios


bottom of page